Simples Nacional: Saiba como funciona a tributação e os anexos desse regime


O simples nacional pode ser uma alternativa positiva para reduzir custos tributários, e com isso, realocar recursos às outras áreas, sendo assim o empreendedor consegue ir conquistando maiores oportunidades de negócios.


No Brasil mais de 11 milhões de empresas adotaram o modelo simples nacional, segundo o Data Sebrae, este regime tributário é uma alternativa para economizar com impostos. 


Portanto se você gerencia uma micro empresa de pequeno porte ou até mesmo um microempreendedor individual, continue lendo a nossa matéria sobre a tributação simples nacional que preparamos para você. 


Anexos da tributação simples nacional


São cinco anexos diferentes da tributação simples nacional:

  • Anexo I: – Comércio; 

  • Anexo II – Indústria;

  • Anexo III, IV e V – Serviços, e entendê-las significa dominar as principais características deste regime tributário. 

O anexo III, IV e V costuma causar dúvidas por ser direcionados à área de serviços, mas é especificado que: 

  • Anexo III – Serviços: serviços de instalação, de reparos e de manutenção, agências de viagens, escritórios de contabilidade, academias, laboratórios, empresas de medicina e odontologia;

  • Anexo IV – Serviços: empresa de limpeza, de vigilância, de obras, construção de imóveis e escritórios de advocacia;

  • Anexo V – Serviços: serviços de auditoria, redação jornalística, de tecnologia, agência de publicidade e escritório de engenharia.

Esta divisão tem por objetivo facilitar a escolha por parte da empresa em qual anexo seguir. 


Sendo assim fica mais entender em qual tributação você deve seguir, um exemplo:  Se você é um empreendedor da área do comércio basta seguir a tributação do anexo II, o mesmo vale para as outras áreas da economia. 


Tributação dos anexos 


Existem diferentes anexos,  o valor de cada uma delas é variável, sempre sofrendo modificações com a alíquota anual. 

Como o objetivo do Simples Nacional tem como características a unificação dos impostos, a dedução compila a alguns impostos como: 

  • CSLL;

  • Cofins;

  • PIS/PASEP;

  • CPP;

  • ICMS.

Ainda seguindo o exemplo do Anexo II – Indústria, a tributação varia de acordo com as faixas de tributação simples nacional.

Isto é, ela pode se alternar entre 4,5% a 30%, sempre em relação à alíquota anual.


Faixas de tributação simples nacional  


Como já explicamos cada anexo apresenta uma faixa específica de tributação de acordo com a alíquota dos últimos 12 meses.


Portanto é necessário consultar os valores atualizados em tabelas fornecidas em órgão governamental (1).


Neuza Alves, Advogada.


#advogadotributarista #advogadoparaosimplesnaional #simplesnacional #comoentrarnosimplesnacional #advogadoempirituba #advogadolocalizadoempirituba


(1) Fonte: Jornal Contabil




1 visualização
  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • Ícone do Pinterest Preto

Contato

whatsapp-logo-13-03.png

WhatsApp 

Tel. (11) 2768-9386

Av. Mutinga, 407 sala 01 - Pirituba 

São Paulo/SP  

CEP 05154-000

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Instagram Branco
  • Ícone do Pinterest Branco